Dicas essenciais para quem quer aprender a tocar cavaquinho

Tocar cavaquinho pode não ser uma coisa muito simples, mas quando se tem dedicação e disciplina qualquer dificuldade que possa surgir será vencida.  Para quem já tem um entrosamento com o instrumento musical pode ser mais fácil, mas em ambos os casos não se pode desistir, independente se tem facilidade ou não, o que importa é a vontade de aprender. Porém, eu sempre recomendo que adquira um curso de cavaquinho.
Para que já tem muita dificuldade em manusear o cavaquinho o ideal é se matricular em um bom curso de como tocar cavaquinho, mas nada impede que antes você já comece a pesquisar tudo sobre o instrumento e vá adquirindo o conhecimento teórico que é necessário.
Mas como nada é impossível de aprender e ser totalmente aperfeiçoado, vou listar algumas dicas que podem fazer a diferença quando você resolver iniciar o curso para tocar cavaquinho perfeitamente.
São dicas essências e que contribuem bastante desde a escolha do cavaco até o momento que você começa a desenvolver os arranjos no instrumento.

Dicas para quem está começando a tocar cavaquinho


Se você está começando agora a tocar cavaquinho pode se interessar com as orientações que serão passadas abaixo, preste atenção e tente usa-las nas suas aulas quando for preciso afinar o seu instrumento.

  • Palhetadas

Os grandes pagodeiros aconselham que se utilize palhetas de numero 70 sempre que for executar o solo. Os números menores são recomendados apenas para acompanhamento, pois quando o número é menor você tem mais flexibilidade e menor sobre as cordas.
Você só conseguirá ter um som de qualidade em seu cavaquinho se ele estiver com as cordas limpas e cuidadas.
Uma dica para melhorar a palheta é a seguinte: enrole um pano no braço do cavaquinho deixando as cordas duras e a partir dai com a palheta acompanhe as musicas simulando as batidas nas cordas já tracionadas. Passados 30 minutos, retire a toalha e você vai notar a diferença.
Se você quer ter agilidade nos solos, tente trabalhar de uma em uma corda e sempre que você for executar o acompanhamento de um pagode ou choro, a localização das palhetas deve ficar ao seu gosto, mas a regra é palhetar sobre a boca do cavaquinho.

  • As batidas

Se você é iniciante pode estar encontrando alguns erros com os ritmos, mas você pode começar a acompanhar o ritmo de um tamborim. O essencial é que a mão esquerda trabalhe também, assim você terá uma boa batida.
Tente empregar efeitos, como aqueles sonzinhos, alguns batuques, pois provoca um efeito bonito e é muito utilizado em partidos altos.

  • A escolha das cordas

Escolher o melhor tipo de cordas, mas isso vai depender do gênero musical e do tipo físico e da sua personalidade. No cavaquinho você não tem muita opção, pois as cordas não têm especificações na embalagem.
Algumas perdem a sonoridade em pouco tempo de uso e uma dica importante é você começar a utilizar a corda de violão, pelo menos as quatro primeiras, pois a maioria possui uma espessura maior e isso contribui para se ter um som mais encorpado.
Você pode também enrolar a sobra da corda e ganhará uma grande vantagem nessa corda, facilitando também a troca de corda durante uma apresentação.  O pedaço você pode jogar fora depois.
Existe também a opção de se usar cordas de guitarras, mas essa é uma opção menos utilizada, pois nem tocas são fabricadas com a finalidade de se obter um som acústico e as vezes você pode não obter um bom resultado com o seu cavaquinho.

O ideal é que você procure um curso de aulas para iniciantes no cavaquinho e desenvolva a vontade de tocar, o NOVO Curso de Cavaquinho, criado por Dudu Nobrega, ensina de forma fácil que é possível qualquer pessoa aprender. Quer saber mais sobre o cavaquinho, CLIQUE AQUI!

Um comentário: